​ESSÊNCIA E CONSCIÊNCIA

A aquisição do conhecimento é um dos principais caminhos para a obtenção da consciência sendo este caminho comumente buscado entre as diversas religiões e escolas, mas somente realmente trilhado através da Iniciação, que leva inexoravelmente o homem (discípulo) a atingir primeiro a Salvação, depois da Libertação e, por fim, a Iluminação, o que nos conduz à reveladora Tríade Iniciática de nosso Augusto Mestre, Transformação-Superação-Metástase, nos ensinando que aquele que se Transforma também se Salva, aquele que se Supera também se Liberta e aquele que atinge a Metástase Avatárica também se Ilumina.

Tudo isso nos conduz à Plenitude da Consciência, mas que de nada adiantaria para os desígnios da Obra se associada a essa Consciência não houvesse a aquisição da Essência.

A Essência vem do exterior, não depende de nosso esforço próprio a sua préexistência. Ela pré-existe como a Essência do próprio ETERNO preenchendo todo o Universo. A Essência é a própria Vida Universal que preenche, anima e vive em todas as coisas mas também é o Amor Universal que a tudo nutre, une e sustenta.

A Essência é o próprio Espírito da Vida que vivifica o Universo.

A aquisição primeiro da Consciência, que nos chega a princípio de modo parcial para depois, com o crescimento e a evolução, se tornar integral, mostrou ser o caminho mais correto para a construção de um verdadeiro repositório para a Essência.

Aos poucos os Discípulos vão construindo sua taça de argila, o conhecimento recebido vai adicionando um pouco mais de argila na roda do oleiro (Discípulo) que fabrica a taça, que girando, girando, girando, molda a taça, sem perceber que está moldando a si próprio. Aos poucos vai conhecendo o Universo através do conhecimento de si próprio.

Porém, o conhecimento adquirido, mas não vivenciado, é como a argila fresca e úmida que se adiciona na massa que molda a taça. O oleiro consegue dar o formato à taça mas não consegue sustentá-lo, e a taça de argila fresca se deforma com o tempo.

Já a vivenciação do conhecimento é como o forno que cozinha a argila. Torna-a rígida, a transforma em pedra dura e resistente. Que não se deforma, ou não se deturpa com o passar do tempo.

Por isso nosso Mestre nos deu uma outra Tríade Iniciática Escola-Teatro-Templo, que nos mostra de modo a taça de argila úmida deverá ser cozida: Sentindo o conhecimento com o cérebro ao mesmo tempo que o avaliando com o coração, para que os dois, Cérebro e Coração se transmutem a fim de que a compreensão de Todo seja finalmente a compreensão de si próprio, de modo que se perceba a Unidade que sempre existiu entre o Universo e o Homem. E finalmente se perceba a Unidade entre todos os homens e um só HOMEM – o Avatara.

Ou seja, compreender, vivenciar e sentir o conhecimento transformando das Nidanas do passado nas Escandas do futuro, o que só é conseguido através da construção de um Homem Culto e de Caráter (Ordem do Ararat).

Nossa missão individual é transformar a nós mesmos, cada um salvando a si próprio através da superação de todas as nossas mesquinhas limitações de compreensão e de sentimentos, construindo dentro de cada um, uma grande taça de pedra dura. Isso é o que significa adquirir a Consciência.

Cada um constrói a sua própria taça na medida do seu próprio esforço, na medida de sua dedicação ao seu engrandecimento e enobrecimento próprios, dedicação essa que está indissoluvelmente ligada à dedicação e ao trabalho pelo engrandecimento da Obra. Por isso existem taças maiores e menores. Por isso há os que compreendem mais e os que compreendem menos. Há os que toleram mais e os que toleram menos. Mas todos, sem qualquer exceção, construímos as nossas taças de argila.

No momento Avatárico, no ínfimo instante do “Sede Conosco”, a vinda da Essência Única, a vinda do Amor Universal e da Vida Universal, preencherá completamente nossas taças individuais.

A gradação que advirá de estados de consciência entre os Discípulos residirá unicamente no fato de que da Essência uns conterão mais e outros conterão menos, embora a mesma Essência tenha sido distribuída igualmente a todos, pois a diferença entre as igualdades se fará pelo fato de que somente se conseguirá pegar aquilo que se conseguir reter, do Todo que for dado.

Ainda assim, maiores ou menores, todas as nossas taças, pela presença da Essência Avatárica, serão transformadas de argila cozida, de pedra dura, na mais linda, fina e transparente porcelana.

Uma Obra de Arte insuperável, desenhada, moldada e esculpida por nós próprios.

por Patriciatarologasp

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s