O simbolismos da Geometria Sagrada(Divina), a misteriosa arquitetura do Universo>A geometria é o princípio orientador da nossa realidade, quer a partir de uma perspectiva científica ou do ponto de vista místico. Cientistas como Einstein tem visto o espaço-tempo como um continuum com uma determinada geometria e muitos outros físicos compreenderam que o mundo material é a representação de formas matemáticas que existem em uma espécie de espaço platônico. A partir de uma visão mística, a geometria reflete a ordem divina e revela a assinatura do criador, e é por isso que existem princípios como a proporção áurea , conjuntos fractais ou supersimetria : ecos da unidade na multiplicidade, reconhecendo a unidade primordial em todas as coisas. Entre os mistérios que entrelaçam a geometria com a alquimia, ambos partem de um conjunto hermético de conhecimentos, é o mistério da ”quadratura do círculo“, uma demonstração da harmonia universal que pode ser encontrada em edifícios antigos, como catedrais, pirâmides e tem também sido demonstrado por da Vinci nos famosos cânones da proporção humana. O quadrado no círculo está escondida de nossos olhos nus mas presente em todas partes da natureza, como a famosa espiral de Fibonacci. No interesse de aprofundar neste mistério e para construir uma ponte entre a alquimia e a geometria sagrada , David Metcalfe e Scott Olsen  ministraram um curso em 5 sessões na qual se exploraram a geometria dos antepassados e as formas matemáticas que convivem com a gente, e o significado do ditado hermético “como é acima, é também abaixo “. ” O círculo quadrado é comumente usado na arquitetura e o design, mas poucos entendem o poder que possui de evocar um profundo senso de alienação entre o eu e o universo. Quando aplicado à arquitetura, artes visuais e design, o círculo quadrado reflete os ritmos naturais do cosmos e a consciência. “Até você entender como esse princípio é ativo dentro da existência mesma, você não poderá reconhecer a verdadeira harmonia do cosmos”, dizem os autores. Os especialistas nestes temas que colaboraram nos cursos contam com anos de pesquisa em áreas diversas: V. Garth Norman, especialista em sistemas de calendário antigos e em arqueoastronomia. Dr. Lance C. Harding, uma autoridade em questões como a proporção humana, geometria sagrada e construção de templos antigos. Tom Bree, músico, inventor de instrumentos e mestre da geometria cristã e islâmica no Prince School of Traditional Art. Frank Vedegys, especialista em matemáticas e assuntos esotéricos como tarô e astrologia. As formas básicas servem para conceitualizarmos uma idéia complexa de maneira simples e efetiva. O simbolismo aplicado no jardim influencia os usuários inconscientemente e passa uma mensagem silenciosa que não poderia ser racionalizada. A geometria é a linguagem básica do designer, esta linguagem que é atemporal e universal. Aplicado no jardim, essa mensagem é complementada pelas demais escolhas – plantas, materiais, texturas, cores. Um jardim deve ter um significado, uma história para contar. O designer deve, acima de tudo, ter claro em sua mente a mensagem que gostaria de enviar e utilizar de diversos recursos para deixar claro suas intenções – esse é o jardim conceitual. Quando enxergamos o mundo através das formas geométricas básicas, nosso mundo se simplifica e o entendimento se torna natural e intuitivo. Manter a simplicidade – a eliminação do supérfluo – é a lição mais importante quando se projeta um jardim.

>CÍRCULO 

Inclusão;

Totalidade; 

Unidade; 

Ciclo; 

Foco; 

Perfeição; 

Útero; 

Infinito; 

Realização. 

O Universo fala a linguagem universal da geometria e o círculo é sem dúvida o forma básica mais aplicada na Natureza. Desde os grandes astros do macrocosmo – a Lua, o Sol, os planetas, as estrelas, etc – desde os componentes do microcosmo – células, átomos elétrons, etc – são representados pela forma circular. Assim entendemos seu significado mais importante – unidade cósmica.   >QUADRADO

Estabilidade; 

Estrutura; 

Fundação; 

Direção; 

Integridade; 

Planejamento; 

Equilíbrio; 

Ordem; 

Pragmatismo. 

Muito utilizada em jardins que querem demonstrar a influência humana sobre a Natureza. Não necessariamente de maneira negativa – o jardim é de fato o resultado da intervenção humana, a utilização dessa forma geométrica demonstra pragmatismo e de certa forma a despretenção em reproduzir formas naturais. Estabilidade; 

Estrutura; 

Fundação; 

Direção; 

Integridade; 

Planejamento; 

Equilíbrio; 

Ordem; 

Pragmatismo. 

Muito utilizada em jardins que querem demonstrar a influência humana sobre a Natureza. Não necessariamente de maneira negativa – o jardim é de fato o resultado da intervenção humana, a utilização dessa forma geométrica demonstra pragmatismo e de certa forma a despretenção em reproduzir formas naturais. O quatro é um número de grande importância na cultura islâmica e frequentemente aplicada no design de seus jardins, tanto em formas de cruzes como de quadrados. Cada um dos quatro cantos do quadrado representa o Angélico, o Diabólico, o Humano e o Divino – na utilização dessa forma, alcançamos o equilíbrio através das dualidades, dos opostos complementares. O número quatro representa a ordem estrutural natural do Universo. 

As quatro estações: Primavera, Verão, Outono e Inverno; 

Os pontos cardeais: Norte, Sul, Leste e Oeste; 

Os quatro elementos fundamentais: Fogo, Água, Ar e Terra. As quatro linhas retas que compôem o quadrado validam seu significado – é uma forma estática, sólida, imutável, muito relacionada com o físico e com o material. É para os chineses o símbolo que representa a Terra em oposição ao círculo, que representa o Divino. 

No Feng Shui é um símbolo muito versátil pois facilita a aplicação do Pa Kua. Representa o elemento terra, a cor amarela e todas as estações do ano. Induz a extroversão. Uma combinação muito auspiciosa é o quadrado com o fogo – que pode ser usado literalmente no jardim (em forma de tochas, velas) ou representado simbolicamente por luminárias. Quadrados aplicados no jardim nos dão estabilidade e proteção. Seja cauteloso em seu uso pois se for muito predominante pode servir como âncora espiritual, ligando-o demais ao mundo físico – a não ser que seja essa a sua intenção. 

>TRIÂNGULO 

Iluminação; 

Misticismo; 

Subjetividade; 

Mistério; 

Gênero; 

Manifestação; 

Criatividade/ Criação; 

Proporção; 

Integração. 

Nenhuma das outras formas geométricas básicas oferece essa duplicidade tão própria que é do triângulo: quando invertido, seu significado assume o significado oposto, o que não acontece com os demais. Essa versatilidade traduz a mágica e a criatividade do triângulo.

Feminino/ Masculino

– Lunar/ Solar

– Yin/Yang;

– Passivo/ Ativo;

– Caverna/ Montanha;

O número três está intimamente ligado com essa forma, não há como ver um sem pensar no outro. Os ensinamentos místicos dizem que, se o Um representa ‘força’, o Dois representa ‘abertura’, então o Três (soma dos números anteriores) é ‘o nascimento da sabedoria’ – é o caminho para o conhecimento. Os antigos gregos viam o triângulo como um portal simbólico, resultante do entendimento da importância do equilíbrio para se alcançar a iluminação.

Feminino/ Masculino

– Lunar/ Solar

– Yin/Yang;

– Passivo/ Ativo;

– Caverna/ Montanha;

O número três está intimamente ligado com essa forma, não há como ver um sem pensar no outro. Os ensinamentos místicos dizem que, se o Um representa ‘força’, o Dois representa ‘abertura’, então o Três (soma dos números anteriores) é ‘o nascimento da sabedoria’ – é o caminho para o conhecimento. Os antigos gregos viam o triângulo como um portal simbólico, resultante do entendimento da importância do equilíbrio para se alcançar a iluminação.

Diversas são as tríades frequentemente mencionadas nos ensinamentos esotéricos: 

– Corpo, Mente e Espírito; 

– Pai, Filho e Espírito Santo; 

– Donzela, Mãe e Anciã; 

– Passado, Presente e Futuro; 

– Mãe, Pai e Criança; 

– Mundos Superior, Intermediário e Inferior; 

– Nascimento, Morte e Transcendência; 

– Pensamento, Emoção e Sabedoria. 

A idéia é que o lado vertical represente um aspecto, o horizontal outro aspecto e a hipotenusa a resultante da combinação de ambos. Representa o poder (quase divino) da criação, o poder da evolução, o equilíbrio, a harmonia. Usando o último exemplo – o equilíbrio entre Pensamento e Emoção resulta em Sabedoria. No Feng Shui, representa o elemento fogo, a cor vermelha e o Verão. É dito que os pinheiros são as únicas árvores que sobrevivem aos invernos rigorosos por possuirem muita força vital – proveniente do elemento fogo – representado em sua copa triangular. Esse exemplo traduz a criatividade divina simbolizada tão bem pelo triângulo.

No Feng Shui, representa o elemento fogo, a cor vermelha e o Verão. É dito que os pinheiros são as únicas árvores que sobrevivem aos invernos rigorosos por possuirem muita força vital – proveniente do elemento fogo – representado em sua copa triangular. Esse exemplo traduz a criatividade divina simbolizada tão bem pelo triângulo.

No paisagismo, costuma-se compor uma seleção de plantas em forma triangular a fim de se alcançar equilíbrio estético no jardim – ou piramidal, se pensarmos tridimensionalmente. Aliás, o equilíbrio estético nada mais é do que uma composição harmoniosa de energia – o resultado visual agradável é uma consequência. Costuma-se agrupar plantas, geralmente, em 3 ou em 5 unidades. Dê preferência a números ímpares em uma composição para resultados de maior impacto. O elemento vertical atua como uma âncora e deve ter maior destaque – os demais elementos devem ser de proporção pouco menor e não devem competir com a planta dominante, ao contrário, devem complementá-la. 

A pirâmide é uma forma curativa muito poderosa e aconselho sua introdução no jardim – seja em forma de objetos decorativos, no design, no agrupamento das plantas, na poda de topiárias ou até em estruturas maiores como gazebos e treliças – de preferência orientados seguindo os pontos cardeais. A efetividade de sua forma tem sido conhecida e utilizada há milênios, sendo as representações mais famosas as pirâmides de Gizé, no Egito – Quéops, Quefren e Miquerinos. Graças a sua forma, a energia é captada e direcionada, focada. Estruturas piramidais ajudam na fertilidade e promovem saúde geral no jardim – das plantas, animais e demais usuários do espaço. Cristais de quartzo em forma de pirâmide são amuletos poderosos e se posicionados em pontos de energia no jardim captam e amplificam as vibrações eletromagéticas, tornando-se fontes poderosas de energia vital. 

>ESPIRAL 

Equilíbrio; 

Evolução; 

Direção; 

Iniciação; 

Expansão; 

Conexão; 

Consciência, 

Desenvolvimento. 

A espiral é o símbolo que melhor representa o pensamento holístico – a consciência do Um dentro do contexto do Todo. A conectividade, a união do indivíduo com as energias cósmicas. A espiral é o símbolo do desprendimento, da liberação – que é alcançada quando temos confiança plena nas forças do Universo, que, acredite, proverá. Seu significado me lembra muito a Citrina – a pedra da abundância. Esse cristal promove a paz interior – pois apenas em tal situação a sabedoria emerge – ideal para pessoas que sentem a necessidade de ter o controle absoluto em qualquer situação. A Citrina e a espiral, ensinam que a vida deve ser levada com bom humor. 

Esse símbolo representa a conectividade com Deus, os estados alterados da consciência, a fonte misteriosa da inspiração. O constante movimento do Universo e dos astros, o infinito.

Espiritualmente, simboliza o caminho que percorremos na busca pela iluminação, semelhante à idéia do labirinto. O exterior representa preocupações supérfluas, materialismo, domínio do ego – aspectos que vão gradualmente diminuindo conforme avançamos para o interior da espiral. No centro encontramos a “recompensa cósmica” – a iluminação, o nirvana, o intangível. 

Em um jardim, podemos aplicar a espiral de diversas maneiras. Em forma de desenhos, mosaicos, esculturas, etc. Aqui fica a sugestão de um adorável canteiro de ervas: eficiente e muito democrático! O canteiro de ervas espiral. Geralmente ervas são todas plantadas juntas em um canteiro, portanto não têm suas necessidades particulares atendidas – há as que preferem muita água, as que preferem menos, as que preferem sol pleno, as de meia sombra. Para fazer esse canteiro de ervas, você precisa primeiro fazer um monte de terra de mais ou menos 1,5m de diâmetro. Demarque com pedras ou seixos o limite do canteiro, descendo em espiral. No final, é uma boa idéia ter um mini reservatório de água. Plante as ervas ricas em óleo e que gostem de sol pleno e pouca água no topo e no final as que gostam de umidade e sombra. Sugiro essa ordem, indo de cima para baixo: tomilho, sálvia, manjericão, alecrim, orégano, erva doce, salsinha, cebolinha, coentro e hortelã por último.    >Associação das formas básicas.

A combinação das formas básicas deve ser feitas com cuidado, afim de se alcançar um resultado de agradável impacto tanto visual quanto psicológico. Não digo apenas do design em si – leve também em consideração a forma das plantas, das estruturas e demais elementos componentes do jardim. Todos devem interagir de forma harmoniosa. Na simbologia chinesa, o círculo representa o Paraíso e o quadrado, a Terra. A associação dessas duas formas significa a união entre o Céu e a Terra. para Jung, o círculo é o arquétipo geométrico da psíque, enquanto o quadrado é o arquétipo do corpo. A associação dessas duas formas representa o equilíbrio entre a mente e o corpo. Ficou claro que trata-se de uma combinação muito auspiciosa e de significado profundo – tente incorporar ambas em seu jardim para um resultado transcendental. Quando uma cruz é retratada inserida em um círculo, temos um poderoso resultado simbólico de inclusão e unificação religiosa. O círculo convida o observador a entrar, a fazer parte do sagrado que a cruz representa. Do mesmo modo que a associação do triângulo inserido em um círculo, convida o espectador a aventurar-se no mistério do misticismo, do oculto, do esoterico. O Yin e Yang é resultado da associação de circulos de diferentes tamanhos, significando o equilíbrio, a totalidade, alcançada pela união dos opostos complementares. A repetição de uma mesma forma intensifica seu resultado e dá mais ênfase em sua simbologia individual. Neste caso, a repetição é utilizada com a intenção de relembrar o observador de que duas entidades opostas são análogas. Como Yin e Yang ensina, um pouco de um é encontrado no outro. 

No Feng Shui, a combinação de símbolos é mais complexa e devemos prestar muita atenção se a combinação das formas implica em um resultado destrutivo ou construtivo, afinal, cada uma está associada a um elemento em particular. 

Por exemplo, evite canteiros de plantas em forma circular, já que plantas são Madeira que é destruída pelo elemento Metal, simbolizado pelo círculo. Ao invés, opte por uma fonte de água em forma circular, já que Metal produz Água. Uma cerca viva podada em forma ondular (Água) tendo aos sus pés um canteiro retangular (Madeira) – ainda mais se localizada no setor Noroeste do jardim – é uma combinação muito harmoniosa. Luminárias para jardim são mais auspiciosas em formas triangulares ou retangulares, mas não devem ser feitas de metal. Aliás, triângulos e retângulos trabalham muito bem juntos.

por Patriciatarologasp

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s